quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Nota de solidariedade aos militantes do MPL Joinville

A direção municipal do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) vem, por meio desta, se solidarizar com os militantes do Movimento Passe Livre (MPL), vítimas de clara tentativa de criminalização dos movimentos sociais. 

A iniciativa parte do integrante do Conselho da Cidade Álvaro Cauduro, advogado e ex-presidente do PSDB. Cauduro, que representa os interesses empresariais no Conselho, está processando um militante de apoio do MPL, como maneira de intimidar todas e todos àqueles que se opõe ao modo como se está conduzindo os trabalhos daquele Conselho. 

Este tipo de retaliação política é inadmissível e não servirá para que a nossa luta retroceda. 

Os governos Carlito Merss (PT, 2008-2012) e Udo Döhler (PMDB, 2013-atualmente) utilizaram-se de diversos expedientes para tentar inviabilizar ou prejudicar a participação popular no Conselho da cidade, com vistas a aprovar, a qualquer custo, a atual proposta de Lei de Ordenamento Territorial (LOT). 

Neste sentido, o PSOL se solidariza e se posiciona contrário ao atual projeto, pois em nossa avaliação, é extremamente nocivo para a cidade que almejamos: uma cidade plural, democrática, participativa, que busque no planejamento urbano o desenvolvimento humano e a mobilidade sem restrições. Que busque construir Joinville como uma cidade de direitos, e não como uma mera "cidade mercado" que reproduz a desigualdade social, concentra renda e piora a qualidade de vida da maioria do nosso povo. 

Joinville, 19 de dezembro de 2013

sábado, 7 de dezembro de 2013

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE PLENÁRIA EXTRAORDINÁRIA

EDITAL PARA PLENÁRIA EXTRAORDINÁRIA DE ELEIÇÃO

A Comissão Provisória do Partido Socialismo e Liberdade em Joinville vem, por meio desta, CONVOCAR todos os filiados e filiadas para participarem de PLENÁRIA EXTRAORDINÁRIA para eleição de nova Comissão Provisória do partido.

I – A plenária será realizada no dia 15 de dezembro, às 10 horas, na Rua Chapecó, 101, Bairro Saguaçu.
II – Havendo mais de uma chapa interessada em concorrer às eleições, as mesmas poderão ser inscritas durante a plenária.
III – Terão direito a voz e voto todos os filiados regularmente registrados perante o Tribunal Superior Eleitoral.

Joinville (SC), 07 de dezembro de 2013.



Leonel Camasão
Presidente


segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Debate: "Construindo um projeto popular"

Na sexta-feira, dia 04/10/2013, foi realizado o debate "Construindo um Projeto Popular" entre o PSOL, a Refundação Comunista e o Polo Comunista Luiz Carlos Prestes.

O evento teve a presença do Plínio de Arruda Sampaio, ex-candidato a presidência da República do PSOL, o deputado federal e presidente nacional do PSOL Ivan Valente, o vereador de Florianópolis e ex-presidente estadual do PSOL Afrânio Boppré, o dirigente nacional da Refundação Comunista Ronald Rocha, e o deputado estadual Sargento Amauri Soares do Polo Comunista Luiz Carlos Prestes.

Em pauta: a formação da frente de esquerda.


“Nunca as posições políticas são tão necessárias como no presente”, destacou Afrânio Boppré, vereador de Florianópolis e mediador do debate “Construindo o projeto popular”.

Afrânio Boppré abriu as discussões com o seguinte questionamento “O que é à esquerda hoje no Brasil?”. O parlamentar destaca que não é raro escutar que “a ideologia não existe mais”. A justificativa para a afirmação é a queda do muro de Berlim e o descontentamento com o Partido dos Trabalhadores no governo. Entretanto, crises mundiais como a questão da Síria, no Oriente Médio; a espionagem cibernética americana afrontando a soberania de outros países; e a crise econômica que assola o planeta são alguns dos fatores relevantes que merecem a atenção. “Nós partilhamos do sonho de uma sociedade comunista” e, para isso, é necessário ter “paciência histórica, rebeldia e unificação de forças.”

Na terça-feira passada (1/10), o quadro político de esquerda se fortaleceu com a vinda do deputado estadual Amauri Soares para o Partido Socialismo e Liberdade. Ele faz parte da direção nacional do Polo Comunista Luiz Carlos Prestes e afirmou no debate que, além de ser bem recebido no partido, acredita que a sua filiação será proveitosa já que a “aglutinação das forças populares em Santa Catarina” é importante para a luta da esquerda. De acordo com o político, a tarefa prioritária é reorganizar os blocos populares. “Com a chegada do PT no poder houve uma acomodação de forças já que as maiores centrais sindicais se silenciaram frente aos problemas do Brasil”, declara o deputado.

Ronald Rocha, da Refundação Comunista reafirma o que foi dito por Amauri Soares. “O movimento sindical está desvinculado da sua base popular.” O grande desafio, segundo ele, é “construir uma unidade popular”. Segundo ele, a filiação do deputado Amauri Soares não é trivial. De acordo com o palestrante, não é a busca de mera viabilidade eleitoral, e sim a busca de reformas profundas que a esquerda precisa. “Vamos concentrar as energias para combater os inimigos de classe”, afirma Ronald.
O ex-candidato à presidência pelo PSOL, Plínio de Arruda Ramos, declarou que o momento político que vivemos é propício para mudanças. As manifestações de junho foram importantes, no entanto, a maioria “estava mais indignada do que politizada”. Para conscientizar os jovens, ele explica que “é necessário conversar com as massas”.
Ivan Valente, Presidente nacional do PSOL e eleito o 4º melhor deputado federal do Brasil, disse que “o que existe é a hegemonia do sistema neoliberal”, porém “é preciso romper as questões estruturais”, tais como: a isenção de impostos para grandes conglomerados, a privatização da saúde, o agronegócio e o sucateamento do transporte público, por exemplo. Ele ainda deixou uma provocação no ar: “Qual a maneira de chegar nos corações e mentes dos que possuem disposição, mas não são politizados?”

PSOL, mais uma vez, é a bancada mais premiada do Prêmio Congresso em Foco

O Congresso Nacional tem 513 deputados. O PSOL tem apenas três. Mas são os melhores. 
PSOL, mais uma vez, é a bancada mais premiada do Prêmio Congresso em Foco. Parabéns ao deputado Jean Wyllys, pela segunda vitória consecutiva na categoria indicação dos internautas. 

#orgulhodeserPSOL

Vejam os principais prêmios

Categoria: indicação dos jornalistas

Melhor Senador
Randolfe Rodrigues (PSOL)

Melhor Deputado
Chico Alencar (PSOL)

Categoria: indicação dos internautas
Melhores Deputados

1º Jean Wyllys (PSOL)
2º Romário (PSB)
3º Chico Alencar (PSOL)
4º Luiza Erundina (PSB)
5º Ivan Valente (PSOL)

Parlamentares de Futuro

1 – Jean Wyllys (PSOL-RJ)
2 - Randolfe Rodrigues (PSOL-AP)
3 - Manuela D’Ávila (PCdoB-RS)

Defesa da Democracia

1 – Chico Alencar (PSOL-RJ)
2 – Pedro Simon (PMDB-RS)
3 - Romário (PSB-RJ) - indicado em votação espontânea pela internet

Defesa dos Consumidores

1 – Ivan Valente (PSOL-SP)
2 – Paulo Paim (PT-RS)
3 – Reguffe (PDT-DF)

Defesa da Seguridade Social e dos Servidores Públicos

1 – Paulo Paim (PT-RS)
2 – Chico Alencar (PSOL-RJ)
3 – Otoniel Lima (PRB-SP) - indicado em votação espontânea pela internet

Defesa da Gestão Pública

1 – Chico Alencar (PSOL-RJ)
2 – Alessandro Molon (PT-RJ)
3 – Randolfe Rodrigues (PSOL-AP)

Destaque no Combate ao Crime Organizado

1 – Alessandro Molon (PT-RJ)
2 – Pedro Taques (PDT-MT)
3 – Otoniel Lima (PRB-SP) - indicado em votação espontânea pela internet

Defesa da Educação

1 – Cristovam Buarque (PDT-DF)
2 – Ivan Valente (PSOL-SP)
3 – Fátima Bezerra (PT-RN)

Deputado Sargento Amauri Soares assina ficha de filiação ao PSOL Santa Catarina

O Deputado Sargento Amauri Soares assinou ficha de filiação ao PSOL Santa Catarina, na sala de imprensa da Alesc.

O ato foi acompanhado pelo então presidente do PSOL-SC, vereador Afrânio Boppré, a presidente do PSOL Florianópolis, Lea Medeiros, o professor Elson Pereira, pelo presidente da Aprasc, Elisandro Lotin e por dirigentes da associação de praças de Santa Catarina.

O parlamentar foi expulso recentemente do PDT catarinense, onde era o único eleito pela legenda na Assembléia Legislativa de Santa Catarina.

Em seu site, foi publicado o seguinte texto sobre os acontecimentos:

É hora de fortalecer o bloco popular. 

As Jornadas de junho demonstram o desgaste do modo tradicional de fazer política. O povo não se sente representado em nenhuma das alternativas que hoje se colocam no comando do governo federal e dos governos estaduais. É necessário fazer política a partir das necessidades dos trabalhadores, de baixo para cima, acumulando no sentido de realizar transformações estruturais. O atual bloco de poder não quer nem é capaz de resolver nenhum dos profundos problemas sociais que estão postos.

Em Santa Catarina, o governo Colombo dá continuidade a uma política oligárquica e antipopular. Segue destruindo os serviços públicos: educação, saúde, segurança, transporte, energia, água e saneamento. Segue desviando recursos públicos para atender interesses privados do grande capital e suas elites. É necessário dar um basta ao continuísmo dos que governam em benefício dos grandes grupos capitalistas e da reciclagem das oligarquias que dominam nosso estado há mais de um século: antes, durante e depois da ditadura militar.

No parlamento catarinense, por outro lado, o mandato do deputado estadual Sargento Amauri Soares, militante do PCLCP, foi vítima de perseguição política desencadeada pela direção do PDT, o que tornou a permanência na sigla insustentável. A gota d´água foi vergonhosa manobra para expulsar o deputado, consumada no dia último 28 pela direção estadual do PDT. Ora, trata-se de um mandato que se manteve sempre fiel aos princípios político-programáticos, balizados pelos interesses dos trabalhadores catarinenses e setores populares. Interesses esses que se contrapõem aos da oligarquia, razão da perseguição desencadeada.

Neste contexto, o PCLCP e o PSOL firmam um acordo referente às eleições de 2014. O presente acordo leva em consideração essa conjuntura e o espaço que se abre para que as massas populares e os trabalhadores voltem à cena da história. Diante desta situação, o PCLCP decidiu pela filiação do deputado Sargento Amauri Soares no PSOL. Esta decisão tem como eixo o fortalecimento do bloco das forças populares e da classe trabalhadora.

O PSOL tem se destacado em nível nacional por ter os melhores parlamentares do Brasil, segundo o prêmio Congresso em Foco; por fazer uma oposição diferenciada e à esquerda aos governos Dilma Rousseff, Raimundo Colombo e Cesar Souza Jr; e ainda, por apresentar-se como um partido ético, combativo e que se posiciona ao lado dos trabalhadores e da juventude.

Essa filiação tem como base o esforço comum de construção de uma aliança política e programática entre as duas organizações e outras forças políticas e sociais do cenário catarinense, no sentido da construção de um Programa Popular para Santa Catarina. O PCLCP, como organização política de caráter partidário, porém sem registro eleitoral, mantém completa autonomia política e organizativa em relação ao PSOL, assim como não interferirá nas questões políticas e organizativas deste partido.

Para as eleições de 2014, fica em aberto a possibilidade do deputado Sargento Amauri Soares se candidatar a governador de Santa Catarina ou a outro cargo eletivo. A decisão sobre a candidatura ao governo do estado será soberana do PSOL e aberta ao debate.

A partir desse acordo, fazemos um chamamento às forças de esquerda do cenário político catarinense para envidar esforços no sentido da construção de um bloco capaz de fazer frente à política antipopular levada a cabo pela oligarquia catarinense e seu atual governo do estado. Num momento em que o povo volta às ruas, é fundamental o entendimento e a responsabilidade assumida pelas forças que se organizam em torno dos interesses dos trabalhadores e do povo.

Até a vitória,

Polo Comunista Luiz Carlos Prestes - PCLCP
Partido Socialismo e Liberdade – PSOL

Florianópolis, 1° de Outubro de 2013. - http://www.sargentosoares.com.br/noticia.php?id=1632#sthash.rWS0Le7h.dpuf

Novo programa do PSOL foi ao ar na TV aberta

O novo programa do PSOL foi ao ar na TV aberta em rede nacional na última quinta-feira, dia 03 de outubro de 2013. O vídeo tem 5 minutos de duração e pode ser visto clicando na imagem abaixo.


terça-feira, 20 de agosto de 2013

Leonel Camasão participa de debate na abertura da 2ª Semana da Diversidade em Balneário Camboriú

O presidente do PSOL Joinville, Leonel Camasão, participou de um debate que abriu a 2ª semana da diversidade de Balneário Camboriú, no dia 15 de agosto de 2013.

Além do Leonel, que representou o PSOL Santa Catarina, participaram do debate sobre a questão LGBT no Brasil  a presidenta da Comissão de Direitos Humanos da Alesc, Lucinae Carminatti, a vereadora de Balneário Marisa Zanoni e a ex-vereadora de São Paulo Soninha Francine.

Leonel Camasão falou dos direitos conquistados pela população LGBT desde 2008, a importância da chegada de Jean Wyllys (PSOL-RJ) ao parlamento e também da crise de representatividade que acomete o parlamento e a mídia no Brasil.

Organizadores do evento e palestrantes

2ª plenária municipal do PSOL Joinville dia 22 de agosto

A segunda plenária do PSOL Joinville - etapa municipal do Congresso do PSOL - ocorrerá no dia 22 de agosto, uma quinta-feira, às 19 horas, na Rua Carlos Parucker, 103 - Atiradores - Joinville.

Quem já participou da primeira não precisa comparecer. 

Os filiados no PSOL até 15 de abril de 2013, elegerão delegados para as etapas estaduais e nacional e defenderão a posição dos militantes da base do partido no 4º Congresso Nacional nos próximos 2 anos e também serão responsáveis por eleger as próximas direções estaduais e nacional do partido.

Os delegados desta plenária se juntarão aos delegados eleitos na primeira plenária e irão participar da plenária estadual em Florianópolis.

Importante a leitura das teses nacionais: http://www.psoljoinville.blogspot.com.br/2013/08/estao-no-ar-as-teses-para-o-4-congresso.html


4 delegados eleitos em Joinville na 1ª plenária municipal para o IV Congresso do PSOL

Neste final de semana, o PSOL Joinville realizou sua primeira plenária relativa ao 4º Congresso do PSOL.

Além de debater as teses apresentadas ao Congresso, o partido elegeu quatro delegados para a etapa estadual, Leonel Camasão, Jéssica Michels, Rebecca Neto e Denise Sanches, e ainda tirou algumas definições sobre as eleições 2014.

Estiveram presentes 18 militantes de Joinville aptos a votar e uma companheira do PSOL do Rio Grande do Sul, Gabi.



Na próxima quinta-feira, dia 22 de agosto ocorre a segunda plenária municipal.

terça-feira, 6 de agosto de 2013

1ª plenária municipal do PSOL Joinville dia 17 de agosto

A primeira plenária do PSOL Joinville - etapa municipal do Congresso do PSOL - ocorrerá no dia 17 de agosto, um sábado, às 9 horas da manhã, no Centro de Direitos Humanos, na Rua Dr. Plácido Olímpio Oliveira, 660 - Bucarein - Joinville.

Os filiados no PSOL até 15 de abril de 2013, elegerão delegados para as etapas estaduais e nacional e defenderão a posição dos militantes da base do partido no 4º Congresso Nacional nos próximos 2 anos e também serão responsáveis por eleger as próximas direções estaduais e nacional do partido.

Segundo o regulamento aprovado pelo Diretório Nacional, poderão participar do Congresso Nacional, todos os filiados, cujos nomes estejam na relação de filiados do PSOL, encaminhada aos Tribunais Regionais Eleitorais no mês de abril deste ano e reconhecida pela direção estadual do partido.

Os delegados ao Congresso Nacional precisam ser eleitos nos congressos estaduais, na proporção de um delegado para cada 50 filiados participantes e presentes no momento da votação nas plenárias municipais ou intermunicipais, sendo admitida a fração de 26 filiados após completado o quórum de 50 ou um inteiro.

De acordo com a convocatória aprovada pelo Diretório Nacional, a base para calcular o número de delegados que cada estado terá direito a eleger para o 4º Congresso Nacional, será a soma dos filiados presentes no momento da votação para delegados aos congressos estaduais em todas as plenárias municipais ou intermunicipais.

Para ver as teses do 4º Congresso Nacional acesse o link http://www.psoljoinville.blogspot.com.br/2013/08/estao-no-ar-as-teses-para-o-4-congresso.html

Estão no ar as Teses para o 4º Congresso do PSOL

O Partido Socialismo e Liberdade realizará do dia 29 de novembro até 1º de dezembro de 2013, em Brasília, o seu 4º Congresso nacional, que inclui na sua pauta o debate sobre Conjuntura nacional, internacional e a tática para o período; o PSOL, as eleições 2014 e diretrizes programáticas para as eleições presidenciais; modificações estatutárias; eleição da Direção Nacional, Conselho Fiscal, diretor presidente da Fundação Lauro Campos e Comissão de Ética.

Para essa contribuição, os grupos internos do PSOL formularam 9 teses para debater os rumos do partido nos próximos anos, são elas:

Tese - Para o PSOL continuar Necessário
Tese - Tomar as Praças e Ruas, Avançar Nas Conquistas Rumo Ao Socialismo!
Tese - PSOL: Um partido para a Revolução Brasileira
Tese - Por Novos Levantes no Brasil
Tese - As Jornadas de Junho, Nossa Estrategia e os Desafios do PSOL
Tese - Democracia Real Já, Nas Ruas e no PSOL
Tese - Unidade Socialista Por um PSOL Popular
Tese - Avançar a Resistência Popular e Defender o PSOL
Tese - Por um PSOL afinado com as ruas: de luta, socialista e radicalmente democrático!


Se você é filiado ou simpatizante do partido, é de suma importância a leitura das teses para entender os debates que acontecem internamente. O PSOL Joinville debaterá as teses ainda no mês de agosto com seus militantes antes da realização das plenárias municipais que definirão os delegados para a plenária estadual.

A página oficial do congresso é http://www.psol50.org.br/4congresso/site/home



terça-feira, 30 de julho de 2013

Debate sobre redução da maioridade penal atrai bom público em Joinville

No dia 20 de Julho de 2013 ocorreu o evento Hip Hop + Debate sobre a maioridade penal, organizado pelo DCE Florestan Fernandes Ielusc em conjunto com o PSOL Joinville. Mesmo com a tarde chuvosa de sábado, mais de 50 pessoas compareceram ao Galpão da Ajote, no Complexo Cultural Antártica, no centro de Joinville.

O debate contou com a participação de João Marcos Buch, juiz da Vara de Execução Penal e juiz corregedor do Sistema Prisional de Joinville; Joselício Juninho Jjr, de São Paulo, jornalista e coordenador nacional do Círculo Palmarino (corrente nacional do Movimento Negro); Anderson Morais, de Florianópolis, ex-presidente do DCE da Unisul e membro da coordenação da Juventude Socialismo e Liberdade (JSOL); Elisandro Lotin, de Joinville, policial militar e presidente da Associação dos Praças de Santa Catarina (Aprasc); e Junior Malcolm (Joinville), supervisor de ensino e professor e cantor de rap com participação na Cultura Hip Hop há mais de dez anos. 

O evento começou do lado externo do Galpão da Ajote, com apresentação do grafiteiro Wendel Sena Eperro, que com traços fortes ilustrou o que o público do hip hop vê quando olha para a juventude das periferias do Brasil. Já dentro do galpão da Ajote, o rapper Junior Malcolm declamou uma poesia que escreveu quando o tema voltou a tona na mídia brasileira. Após as apresentações culturais, os cinco convidados colocaram então suas perspectivas sobre a redução da maioridade penal.

Juninho Jjr abriu o tema situando historicamente a situação do jovem pobre e negro brasileiro e o acompanhamento das políticas sociais e a violência constante que está presente nas grandes cidades. Em seguida, o Dr. João Marcos Buch, falou sobre o Código Civil e seus desequilíbrios, e ainda contou de sua grande experiência nas visitas que pode fazer nos diversos sistemas prisionais do mundo e sobre os estudos que levam a criminalidade.

Alguns dos desequilíbrios apontados pelo juiz foram confirmadas pelo presidente da Aprasc. Elisandro Lotin mostrou a visão do policial que é treinado para enfrentar situações de hostilidade e a precariedade da estrutura pública.


Anderson Morais, do PSOL, contribuiu com diversos dados sobre o descaso com a segurança pública em favorecimento so setor privado e o caminho contrário da política de Santa Catarina, que chegou a fechar uma escola estadual para abrir um presídio no mesmo local, e só não teve êxito porque a população ocupou o lugar e está desenvolvendo ações culturais.

Já o relato do joinvilense Junior Malcolm trouxe uma visão sobre os jovens da periferia Ele falou de seu trabalho social nas comunidades carentes de Joinville, a falta de incentivo do poder público e de como essa juventude se revolta contra tudo isso.

O evento foi encerrado com participação do público por meio de perguntas e muitas contribuições interessantes sobre o tema da cultura, da educação e da segurança que culminam no debate acerca da maioridade penal. Foram mais de três horas de duração no debate que buscou debater e apontar soluções para o problema.

A condução do evento ficou por conta do presidente do DCE Ielusc, Eduardo Rodrigues. As fotos são de Jéssica Michels.



terça-feira, 16 de julho de 2013

Hip Hop + Debate sobre redução da maioridade penal

O debate sobre a redução da maioridade penal voltou a ocupar grandes espaços nas televisões, rádios, jornais e também no parlamento, prometendo a solução da violência no país. Será que um problema tão complexo pode ter saídas tão simples?

É com esta indagação que o PSOL de Joinville e o DCE do Ielusc (Associação Educacional Luterana) organizam o debate sobre a redução da maioridade penal. O formato é uma mistura de apresentações culturais de Hip Hop e um painel sobre o tema visto de cinco perspectivas diferentes.

Os convidados para debater o tema são:


Dr. João Marcos Buch (Joinville)
Juiz da Vara de Execução Penal e Juiz Corregedor do Sistema Prisional de Joinville

Joselício Juninho Jjr (São Paulo)
Jornalista e Coordenador Nacional do Círculo Palmarino (Corrente Nacional do movimento negro)

Anderson Morais (Florianópolis)
Ex-presidente do DCE da Unisul e membro da coordenação da Juventude Socialismo e Liberdade (JSOL)

Elisandro Lotin (Joinville)
Policial Militar e presidente da Associação dos Praças de Santa Catarina (Aprasc)

Junior Malcolm (Joinville)
Supervisor de Ensino e Professor, cantor de Rap com participação na Cultura Hip Hop há mais de dez anos. 

No evento, também exposição de Grafites, com Wendel Sena Eperro.


O evento será no dia 20 de Julho de 2013, as 14 horas no galpão de teatro da Ajote, rua XV de Novembro, 1383. A entrada é livre. Confirme sua presença do evento do Facebook.

quarta-feira, 10 de julho de 2013

Transporte coletivo como questão de gênero

Na manifestação pelo transporte público, gratuito e de qualidade que ocorreu no dia 02 de julho de 2013, a companheira Rebecca Neto, do PSOL Joinville, fez um jogral onde faz uma relação entre a luta do transporte coletivo e a opressão as mulheres. Acompanhe o jogral na integra clicando na imagem abaixo:


terça-feira, 9 de julho de 2013

Projeto de Lei Mobilidade Solidária propõe que usuários de ônibus não paguem diretamente pela tarifa

Pensando em modelos substitutivos para o atual modelo de locomoção, o mandato do vereador Afrânio Boppré (PSOL-Florianópolis) apresentou o Projeto de Lei Mobilidade Solidária, uma nova forma de remuneração dos prestadores do serviço de transporte público, em que, por meio da receita tributária, toda a coletividade deve arcar com este curso, como acontece com outros serviços essenciais ligados ao bem comum. O serviço de transporte coletivo convencional urbano municipal será concedido a seus usuários sem pagamento direto.

O transporte é hoje inegavelmente um dos maiores problemas sociais do Município de Florianópolis, com congestionamentos cada vez maiores, e um deslocamento ineficiente e excludente, dada a precariedade e inadequação dos ônibus, a quantidade reduzida de frota, a limitação das linhas, a duração das viagens e o alto preço da tarifa.


A proposta do PSOL é criar uma Taxa de Mobilidade Solidária. Essa taxa seria incluída no carnê do IPTU, onde quem pode mais, paga mais. Seria uma solução com resultados positivos imensuráveis, inclusive com efeitos na saúde pública. O fim das isenções na tarifa, o fim do vale transporte, redução de custos operacionais e inclusive o fim do subsídio que hoje a prefeitura paga. Além disso, teremos redução de carros circulando, investimento em faixa exclusiva para ônibus e ciclovias, menos gastos com elevados e viadutos.



terça-feira, 28 de maio de 2013

Próximo encontro de formação assistirá e discutirá filme sobre a ditadura

No nosso próximo e último encontro do semestre, assistiremos ao filme Utopia e Barbárie do diretor brasileiro Silvio Tendler. Encerraremos esse primeiro ciclo de atividades de formação com  essa obra inspiradora e ao mesmo tempo angustiante para nos prepararmos para o próximo semestre.


Segue aqui um texto de divulgação da obra:

Falar de Utopias em tempos de guerra é lançar-se, de peito aberto, contra as pontas das baionetas. É ter a coragem de por sua humanidade a prova, enquanto ruge, na boca do estômago, toda a fome do mundo. Falar de Utopias em tempo de guerra é não se perder do caminho, em meio ao lodo da barbárie.


Quem quiser assistir o vídeo antes do encontro, segue o link:



Local: Studio Dois pra lá Dois pra cá. Rua Chapecó, 101. Saguacú. (mesma rua da Kavo)
Dia: 01 de junho, sábado (os encontros acontecem todo primeiro sábado do mês)
Horário: 9h às 12h

quarta-feira, 22 de maio de 2013

A semana vista pelo PSOL 2 - Greve dos servidores Ato do dia 20 de maio

Veja o segundo vídeo de A semana vista pelo PSOL, com o assunto:
Militantes do PSOL apoiam a greve dos servidores municipais de Joinville


segunda-feira, 13 de maio de 2013

A semana vista pelo PSOL - Greve, Reenturmação e Oposição na CVJ

A partir desta semana o PSOL Joinville está abrindo um novo canal de comunicação com as pessoas da nossa cidade para debater temas relacionados a política local e estadual.

Para o primeiro vídeo, gravado no dia último sábado, 11 de maio, foram abordados os temas:

1. Greve dos Servidores Municipais, com lançamento de nota de apoio, leia mais: http://ow.ly/kYBMw

2. Manifestação contra Reenturmação nas Escolas Estaduais, com lançamento de nota de apoio, leia mais: http://ow.ly/kYDvi

3. Oposição na Câmara de Vereadores de Joinville.

Confira o vídeo abaixo, comente e compartilhe com seus amigos.


PSOL apóia protestos contra reenturmação nas escolas estaduais

Também neste final de semana, o PSOL aprovou uma resolução política em apoio à luta contra a reenturmação nas escolas estaduais. Leia a íntegra abaixo. 

Resolução sobre “reenturmação” nas escolas estaduais

Considerando
1. Que o Governo de Santa Catarina decidiu, arbitrariamente, aumentar em 50% o número de alunos por sala nas escolas públicas de nosso estado;
2. Que sob o discurso da “eficiência administrativa” e da “economia de recursos”, o Governo pretende demitir professores temporários, superlotar salas de aula, sobrecarregar os trabalhadores da educação e prosseguir com as ações de desmonte da educação pública em Santa Catarina;
3. Que as manifestações de estudantes e trabalhadores da educação contra a chamada “reenturmação” se espalharam pelo Estado, obtendo, inclusive, ações positivas do Ministério Público na tentativa de reverter as medidas do governo Raimundo Colombo;
O Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) resolve:
1. Orientar sua militância a aderir e a engajar-se nas mobilizações contra a reenturmação nas Escolas Estaduais de Santa Catarina;
2. Apoiar as mobilizações estudantis e dos trabalhadores e trabalhadoras da educação;
3. Exigir a imediata reforma das Escolas Estaduais para possibilitar a reabertura das unidades fechadas;
4. Realização de concurso público para suprir as demandas da educação;
5. Cumprimento integral da Lei do Piso, contra o achatamento salarial na carreira dos professores;
6. Exigir a eleição direta para os cargos de gestão escolar.

COMISSÃO EXECUTIVA MUNICIPAL
PARTIDO SOCIALISMO E LIBERDADE
JOINVILLE


** aprovada por unanimidade **



PSOL declara apoio à greve dos servidores de Joinville

A direção municipal do PSOL em Joinville aprovou, neste final de semana, uma resolução política em favor da greve dos servidores municipais. Leia o texto na íntegra. 

Resolução sobre a Greve dos Servidores Municipais de Joinville

Considerando
1. Que a qualidade do serviço público também se constrói pela boa remuneração e condições de trabalho dos servidores;
2. Que a categoria dos servidores municipais viu seus ganhos serem corroídos pela inflação, com perdas salariais superiores a 30%;
3. Que este ciclo de desvalorização foi interrompido com a atual gestão do Sinsej;
4. Que a proposta do prefeito Udo Dohler (PMDB) oferece um reajuste menor do que a inflação dos últimos 12 meses;
5. Que os servidores municipais, em assembleia altamente representativa, decidiram, por unanimidade, realizar greve como única alternativa à intransigência do governo municipal;
6. Que o calendário escolar acordado no ano passado entre Prefeitura e Sindicato não está sendo respeitado pelo atual governo.
Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) resolve:
1. Orientar sua militância, em especial, àqueles que pertencem ao serviço público municipal, a aderir e a engajar-se na greve dos servidores municipais;
2. Apoiar as mobilizações dos servidores, buscando o melhor acordo para mais de 11 mil trabalhadores e trabalhadoras

COMISSÃO EXECUTIVA MUNICIPAL
PARTIDO SOCIALISMO E LIBERDADE
JOINVILLE

** aprovada por unanimidade **



terça-feira, 16 de abril de 2013

Prefeitura do Macapá cria Congresso do Povo com representantes dos bairros

O prefeito do Macapá, Clécio Luís (PSOL), vai promover a democracia participativa através da criação do Congresso da Cidade.

Através de Assembleias Populares das 17 áreas em que a cidade de Macapá foi dividida, a população vai eleger representantes na proporção de 1 delegado para cada 10 participantes. Haverá ainda uma 18ª assembleia para eleger representantes dos movimentos sociais.

Na segunda fase os delegados eleitos nas assembleias participam de duas rodadas de discussão.

A primeira rodada será informada como se faz o orçamento público e se integrarão as quatro comissões do plano plurianual, que são eles: desenvolvimento social, desenvolvimento da gestão, desenvolvimento da infraestrutura e desenvolvimento humano.

Na segunda rodada, será então escolhida os investimentos da prefeitura para os próximos quatro anos com participação popular definindo o rumo da cidade. Como será a saúde pública, a educação, o transporte, a vida cultural.

Através do Congresso do povo a população também decidirá os orçamentos anuais e ajudará a fiscalizar os gastos da prefeitura, perseguindo a corrupção.

O vídeo abaixo foi feito pela prefeitura para chamar a população para participar das assembleias e consolidar a democracia participativa.


Balanço de 100 dias do prefeito Clécio Luís (PSOL)


O prefeito de Macapá, Clécio Luís (PSOL), disse estar “feliz, mas insatisfeito” após os 100 primeiros dias de sua gestão. Em entrevista ao G1, o primeiro prefeito de capital eleito pelo PSOL afirmou ter pagado todos os salários atrasados do município e cortado em 30% a quantidade de cargos comissionados.
G1 - O senhor apresentou um plano emergencial para orientar os 100 primeiros dias da sua gestão na Prefeitura de Macapá. Qual foi seu primeiro passo?Durante a campanha, Clécio apresentou um “Plano emergencial de 100 dias”, do qual fez um balanço na entrevista. O pagamento de pessoal faz parte do que chamou de “arrumar a casa”. “Não penso que vá ser fácil, afinal a prefeitura é deficitária, mas vejo que temos como progressivamente ir resolvendo os problemas”, afirmou.
Prefeito Clécio Luís - Diante da gravidade do problema, elegemos como ponto principal o pagamento de pessoal. Neste ano já pagamos quase R$ 20 milhões em salários atrasados. Era difícil não tomar essa decisão porque venho dos movimentos sindicais. Como eu ia dizer que colocaria o pagamento de pessoal no mesmo patamar de empreiteiras, por exemplo? Esses
R$ 20 milhões eu tive que tirar de todas as secretarias. Me custou muito essa decisão, mas eu faria mil vezes porque não tinha como, na minha condição, deixar o salário para depois. Hoje não tem nenhuma categoria, absolutamente nenhuma, com salário atrasados do ano de 2012 e estamos com os salários de 2013 rigorosamente em dia.
G1 – Houve também um corte dos cargos comissionados. Esses cargos serão reabertos?
Clécio Luís - Claro que vamos nomear gradualmente, mas estávamos 8% acima do limite máximo permitido pela Lei de Responsabilidade Fiscal. Então no meu primeiro dia, assinei um decreto de contingenciamento de 30% de cargos comissionados. No primeiro mês, eu nomeei pouquíssima gente. Eu sabia que ia emperrar a máquina, mas era a única maneira. Eram 1808 cargos comissionados em novembro de 2012 contra 852 até ontem.
G1 – O que pode ser feito para tirar a prefeitura do vermelho?
Clécio Luís - As únicas possibilidade de mudar esse quadro é a prefeitura voltar a arrecadar – e a arrecadação já cresceu 38% em relação mesmo período do ano passado - e fazer a prefeitura voltar a captar recursos externos. Assinamos o decreto para fazer nosso primeiro concurso público no segundo semestre e voltamos a habilitar o município de Macapá a captar recursos, porque a prefeitura tecnicamente não se enquadra no conceito de falência, mas está numa situação de insolvência.
G1 – Uma das principais queixas que o senhor, como candidato em 2012, ouviu dos macapaenses foi a precariedade na coleta de lixo. O que foi feito até hoje?
Clécio Luís - Nós restabelecemos a coleta de lixo. Foi um horror, a cidade fedia. Pegamos a cidade com 11 caminhões, dos quais seis estavam “no prego”, ou seja, operávamos com cinco. Hoje estamos com 14 caminhões operando. Voltamos a pagar o contrato e estamos rigorosamente em dia com o pagamento de janeiro para cá. Nós redimensionamos os horários e as rotas e fizemos uma limpeza pesada dos canais, com isso reduzimos bastante os índices de alagamento em Macapá. Em 90 dias, retiramos dos canais pluviais e das ruas 14 mil toneladas de entulhos.
G1 – O senhor prometeu reformar escolas e construir creches. Em que a cidade avançou na área de educação?
Clécio Luís - A rede física está totalmente deteriorada. Pedimos apoio ao governo do Estado, pedimos espaços públicos para transformar em sala de aula porque Macapá está andando na contramão do resto do Brasil. No ano passado, havia 13 mil crianças em idade escolar do ensino fundamental fora da sala de aula. Conseguimos colocar quase quatro mil e todo dia tem aluno entrando por decisão judicial ou por encaminhamento do conselho tutelar. Para que isso fosse feito, conseguimos improvisar anexos, alugamos espaços, galpões. Não é o ideal, mas estamos improvisando e correndo atrás de outros. Das 81 escolas, estamos reformando 10 escolas e vamos construir de imediato com recursos próprios mais duas. O ideal é que a gente comece agora para que na virada do semestre essas escolas estejam abertas.
G1 – Mudando para saúde, a cidade continua sem Unidade de Pronto Atendimento (UPA)?
Clécio Luís - A área da saúde é meu nervo exposto. Pegamos a prefeitura com quatro ambulâncias, todas paradas, no prego. Nós conseguimos colocar três para funcionar e já adquirimos mais seis junto ao Ministério da Saúde porque decretamos situação de emergência e provamos que era necessário. Vamos devolver essas quatro ambulâncias, que estão velhas, e pegar seis novinhas, sendo duas com UTI, o que nunca tivemos. O ministério deu previsão de entrega para até o final de abril. Quanto à UPA, estamos aguardando abrir edital do governo para construção. No máximo em julho, vamos reformar as seis maiores unidades básicas de saúde, sendo que três terão ultrassom e três terão raio-x. Em Macapá, não temos nenhum aparelho de raio-x na rede pública, nem odontológico nem clínico.
G1 – As obras do Hospital Metropolitano, que seria o primeiro hospital municipal, continuam paradas?
Clécio Luís - Macapá não tem hospital municipal. Tem o Hospital Metropolitano que está parado há 8 anos. É uma obra que tem R$ 6 milhões de reais e está parada. A empresa responsável diz não ter condições de terminar porque o orçamento foi subdimensionado, e pelo tempo, é inviável. Estamos negociando com a Caixa Econômica para fazermos uma nova licitação.
G1 – Na área de transportes, o senhor planejava licitar todo o sistema. Qual é o andamento?
Clécio Luís - Eu imaginava que a gente conseguiria resgatar um estudo que já existia, mas esse estudo simplesmente sumiu. Então estamos fazendo de novo. Temos apenas um engenheiro de desenvolvimento de tráfego, de mobilidade, que estava cedido para o estado. Para esse engenheiro voltar para a gente, eu tive que adoçá-lo. Criamos uma Diretoria de Desenvolvimento de Engenharia de Tráfego e agora já sabemos onde vão ficar os três terminais de integração. Compramos 20 ônibus novos com acessibilidade, elevador, barras de segurança e alcançamos uma frota total de 186 ônibus. Isso significa que voltamos a ter a frota de 1996. Já pensou nisso? O quanto a gente vinha andando para trás.
G1 – Qual é o atual regime de contratação do transporte coletivo?
Clécio Luís - Atualmente é regime de concessão precário. Nunca foi feito uma licitação para concessão de transporte coletivo em Macapá, o que deve ocorrer no segundo semestre deste ano. Estou feliz, mas estou insatisfeito, porque eu já queria estar com esse estudo para apresentar.

Grupo político Brasil e Desenvolvimento cria vídeo para demonstrar filiação ao PSOL

O grupo político Brasil & Desenvolvimento, formado por estudantes da Universidade de Brasília divulgou um vídeo na sua conta do Youtube no dia 31 de março mostrando sua adesão e filiação ao PSOL.

O vídeo conta com depoimentos dos estudantes, fazendo questionamentos sobre a possibilidade de mudança nos dias atuais e levantando bandeiras de luta a serem defendidas.



O canal do grupo BrasileDesenvol possui ainda mais de 40 vídeos com debates e discussões de temas e reportagens sobre ações sociais. O blog é o brasiledesenvolvimento.wordpress.com, onde possui links para as redes sociais.

Faça como o Brasil & Desenvolvimento, tome partido e filie-se ao PSOL.




segunda-feira, 1 de abril de 2013

Filie-se ao PSOL! Reunião de apresentação do partido em Joinville

Reunião de apresentação do Partido Socialismo e Liberdade em Joinville, onde os presentes serão convidados para um ato de filiação ao PSOL.

A reunião será no dia 06 de abril de 2013, próximo sábado, às 19 horas, no Studio de Dança Dois Pra Lá Dois Pra Cá, Rua Chapecó, 101, no bairro Saguaçú.

Evento no facebook para mais informações: http://www.facebook.com/events/153723091462692/



quarta-feira, 27 de março de 2013

Terceiro encontro de formação política do PSOL

O PSOL Joinville vai realizar no próximo dia 06 de abril, das 9 às 12 horas, o terceiro encontro de formação política em 2013.

Este encontro vai debater o artigo do deputado federal do PSOL do Rio de Janeiro Chico Alencar, no texto "Qual o Socialismo" (link para texto), e também o artigo "Socialismo, Liberdade e Poder Local" do deputado federal do PSOL de São Paulo Ivan Valente (link para texto). Os encontros anteriores debateram o Livro "Política, Quem manda, porque manda e como manda" de João Ubaldo Ribeiro.

O evento é aberto para filiados e simpatizantes e será realizado na Rua Chapecó, 101, no Saguaçú. Se tiver dúvidas entre em contato através do e-mail formacaopsoljoinville@gmail.com.



quarta-feira, 20 de março de 2013

Jovens de Santa Catarina participam do acampamento JSOL

Jovens militantes participaram do acampamento da Juventude Socialismo e Liberdade (JSOL) entre os dias 15 e 17 de março. O evento realizado em Jarinu, no interior de São Paulo, contou com 14 catarinenses de Florianópolis, Joinville e Itapema. Cerca de 130 pessoas se reuniram para formação política e integração com a participação de políticos e líderes ligados a direitos humanos, educação e cultura.
Além das palestras, foram realizadas oficinas como: “América Latina” com Gilberto Maringoni, jornalista e especialista em América Latina; “Gênero” com Marcela Moreira, ex-vereadora (Campinas) e coordenadora do Intituto Voz Ativa; “Movimento Estudantil” com Juliano Medeiros, ex-diretor da UNE; “Democratização dos Meios de Comunicação” com Veridiana Alimonti do Coletivo Brasil de Comunicação Social Intervozes e “Educação”, ministrada pela educadora Sylvie Klein.
O grupo catarinense, que percorreu 10 horas de viagem, aproveitou as oficinas, mesas de discussão e debates com os jovens de diferentes estados. Para Anderson Morais, secretário da juventude do PSOL de Santa Catarina e militante do JSOL, “o acampamento foi marcado pelo companheirismo e pela troca de experiências entre jovens do Brasil e pela qualidade dos debatedores.”
Na última noite (16/03), o movimento Círculo Palmarino promoveu um sarau no acampamento. Com poesia, música e expressões artísticas, os jovens do acampamento confraternizaram ao som de tambores e dança. Feliz, o secretário da juventude catarinense do PSOL comemora: “Começamos nesse acampamento a organização nacional de uma juventude popular, democrática, socialista e de massas.”

PSOL é constituído em Biguaçu


Foi constituído oficialmente, na tarde desta quinta-feira (14), o PSOL de Biguaçu. Com a proposta de apresentar à população a opção de um partido que segue ideologias, defendendo os direitos humanos e lutando com a sociedade em busca desses interesses, um grupo de jovens resolveu fundar em Biguaçu o partido de esquerda com base socialista.
Um crítico observador da política local, sempre atento a todos os acontecimentos envolvendo o Executivo e o Legislativo de Biguaçu, defendendo os preceitos da honestidade e da legalidade, o primeiro presidente do PSOL no município, Murilo Azevedo, justifica a necessidade de criar uma nova opção política na cidade. “Estamos aqui para diferir do que Biguaçu vem vivendo nos últimos tempos. Viemos para somar, não vivemos à custa de manchar imagem gratuitamente. Temos posição criteriosa, não negociamos, pois acreditamos que não tem meio que justifique algum fim”, afirmou Azevedo.
Para o senador Randolfe Rodrigues, que participou do lançamento do partido na cidade, os resultados das últimas eleições pelo Brasil e na Grande Florianópolis mostram que o PSOL vem se consolidando como alternativa política de esquerda, possibilitando à sociedade a recuperação de sonhos deixados para trás. Feliz pela iniciativa do grupo, o senador ressaltou a pouca idade dos membros do novo partido. “Vivemos em tempos de desânimo da juventude com a política, ver o interesse desses jovens nos deixa muito confiantes”, comemorou.
Estiveram presentes na primeira reunião do PSOL de BIguaçu autoridades como o vereador da capital, Afrânio Boppré, e representantes do partido na região que se destacaram nas eleições municipais de 2012, como o candidato a prefeitura de Florianópolis, Elson Pereira, e de São José, Rafael Melo.
Fonte: ND Online

4º Congresso do PSOL será de 29 de novembro a 1º de dezembro

A Executiva Nacional do PSOL, reunida na última segunda-feira (04), em São Paulo, definiu a data do próximo congresso nacional do partido. O encontro, que é a maior instância deliberativa do PSOL e ocorre a cada dois anos, será nos dias 29 e 30 de novembro e 1º de dezembro.
 
Na reunião, os membros da Executiva também decidiram que será criada uma comissão organizadora, composta por sete membros, obedecendo a “correlação de forças atualmente existente na Executiva Nacional”, segundo afirma a resolução. As indicações deverão ser feitas em no máximo uma semana. A referida Comissão deverá apresentar a Executiva uma proposta de convocatória para o Congresso, a qual deverá estabelecer de forma detalhada os critérios de participação do evento e demais providências.
 
O 4º Congresso Nacional do PSOL vai eleger a nova direção que ficará à frente do partido nos próximos dois anos. Segundo a decisão da Executiva, ficou estabelecido também que o colégio eleitoral do 4° Congresso será baseado na lista de filiados entregue ao TSE no mês de abril deste ano.
 
Reunião do Diretório Nacional
Os membros da Executiva, reunidos na segunda-feira (04), também decidiram convocar Reunião do Diretório Nacional para os dias 27 e 28 de abril. A pauta ainda será divulgada pela Executiva aos membros efetivos e suplentes do Diretório Nacional.

Senador Randolfe Rodrigues reafirma os ideais do PSOL para a juventude em Florianópolis


- “Remar contra a corrente aumenta a musculatura intelectual e crítica”.
Dito em frente a um auditório com 55 pessoas, o discurso do senador Randolfe Rodrigues (PSOL/AP) reafirmou os ideais do Partido Socialismo e Liberdade em Florianópolis na noite de quinta-feira (14/03). O parlamentar mais jovem do Brasil no Senado Federal participou do debate “Juventude e Política”. Além do político convidado estavam presentes na mesa redonda: Afrânio Boppré, vereador de Florianópolis; Alcileia Medeiros Cardoso, tesoureira do PSOL/SC; Murilo Azevedo, presidente do PSOL de Biguaçu e Cleber de Oliveira Rodrigues, secretário geral PSOL de São José.
O senador fez um apanhado histórico sobre a atuação dos jovens na política brasileira e enfatizou que, ao contrário do que o senso comum propaga, existe uma disposição política da participação de jovens. Coluna Prestes, Impeachment, UNE, URBES, e a ditadura militar foram exemplos destacados que tiveram participação massiva da juventude. Para Randolfe Rodrigues, o problema está no amorfismo da luta política. “Hoje em dia, as pessoas se interessam, mas não se impõem. Não são nem de esquerda, nem de direita.”, comenta o parlamentar. Segundo ele, a tarefa central é “reacender a utopia e dizer aquilo que deve ser dito.”
Outro ponto destacado foi o Estatuto da Juventude que está em discussão no Senado. Além da reserva de assentos no transporte interestadual, a proposta estabelece regras para acesso a espetáculos culturais, expedição da carteira de identificação estudantil e concessão de meia entrada.

Evento de apresentação do PSOL contou com militantes de Itapema

No dia 09 de março, o PSOL Joinville realizou um evento de apresentação do partido que contou com a presença de 11 pessoas, entre eles militantes do partido de Itapema e novos interessados e filiados.

Foi feita uma apresentação do partido, sua construção e a importância do papel da esquerda em Joinville, e apresentação de todos os presentes.


terça-feira, 12 de março de 2013

Abaixo assinado Fora Raimundo Colombo

Pouco mais de dois anos após chegar ao poder, Raimundo Colombo mostra um governo despreparado para enfrentar os reais problemas de Santa Catarina.

Enquanto gasta vultuosas verbas publicitárias para fazer autopropaganda, mantendo 36 secretarias regionais que são verdadeiros cabides de emprego, as redes estaduais de Saúde e Educação estão literalmente caindo aos pedaços.

Em Joinville, o ano letivo começou com 8 mil alunos sem aula por escolas estarem fechadas, e ainda hoje, mais de 1.500 alunos continuam sem aulas. A única maternidade pública do norte de Santa Catarina está sem médicos, quase todos os hospitais estaduais estão operando abaixo da capacidade, com alas fechadas, pronto socorro fechados, ou em reformas que duram anos e deixam de atender a quem mais precisa.

A política de tortura nos presídios está causando o verdadeiro caos na segurança pública, com a segunda onda de atentados percorrendo todo o estado e colocando em risco todos e todas os catarinenses.

Por demonstrar tamanha incapacidade, exigimos que Assembleia Legislativa casse o mandato de governador de Raimundo Colombo, ou que o mesmo renuncie o cargo por se mostrar incapaz de governar Santa Catarina.

link para assinar a petição: http://ow.ly/iMPIp